Ir aos Açores é conhecê-la. Também conhecida por açaflor ou açafrão-bastardo, a relação com o açafrão é, obviamente próxima. De um laranja intenso, a sua flor contrasta com o verde que predomina nas ilhas açorianas. Explicou-nos, in loco, quem sabe que, depois de colhidas, as flores são colocadas ao sol para secarem. Depois são moídas artesanalmente e colocadas em frascos para serem usadas o ano todo para temperar molhos e guisados. 

Mas esta irmã do açafrão também pode ser usada para fins medicinais graças a um sem números de propriedades, entre elas poderes analgésicos e antibacterianos. 

Mas, nos Açores, vai encontrá-la essencialmente nas cozinhas. Colhida no verão, deve guardar-se durante apenas um ano. Não volte dos Açores sem um (ou vários) sacos – existem à venda – ou peça a um amigo local que lhe dispense alguma.

NNC (texto) José Ventura (fotografia)
www.nunonobre.com